Entenda a diferença entre o precatório federal, estadual e municipal

Entenda a diferença entre o precatório federal, estadual e municipal

Muitos credores desconhecem os principais tipos de precatórios (estadual, municipal e federal) e não sabem identificar as particularidades de cada um.

Ao contrário do que muita gente pensa, essa classificação não define apenas a origem do precatório, mas também sua natureza, forma de pagamento e prazo de recebimento.

Neste post, você vai tirar todas as suas dúvidas sobre o precatório federal, precatório municipal e precatório estadual, além de aprender como é feito o pagamento de cada um deles. Acompanhe:

O que é um precatório

Todos os precatórios são originados de débitos com entidades públicas. Sendo assim, as pessoas físicas e jurídicas que movem (e ganham) algum tipo de ação contra o Poder Público passam a ser detentoras de títulos, que são chamados de precatórios.

Após o ganho da causa, o titular deve fazer uma solicitação (por meio de seu advogado) da elaboração de um ofício ao respectivo Juízo do processo. Este documento requisitório é encaminhado ao Presidente do Tribunal de Justiça, que deve autorizar a expedição do valor referente ao precatório.

Em seguida, esse precatório deve ser expedido para o credor. O problema desta fase é que o governo, normalmente, não possui recursos suficientes para arcar com todas as dívidas, o que implica na demora para o recebimento do dinheiro. Para isso, o credor entra em uma fila, na qual pode aguardar por até dez anos.

As pessoas que tiverem mais de 60 anos, ou portarem doenças graves (como câncer, AIDS, Parkinson ou males cardíacos) terão prioridade na fila para um recebimento parcial em alguns tipos de precatórios.

Especificação dos precatórios federal, estadual e municipal

As requisições de pagamento podem ser emitidas pela Justiça para fazer a cobrança da União, municípios ou estados. Cada tipo de precatório possui características distintas, de acordo com sua qualificação:

Precatório federal

Contemplado pelo artigo 100 da Constituição, este tipo de precatório possui origem em ações contra o Governo Federal ou alguma de suas autarquias. Geralmente, as causas são encaminhadas e julgadas em um Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ou, na maioria das vezes, no Tribunal Regional Federal (TRF).

Por terem um volume geralmente maior do que as outras ações, as causas federais costumam levar mais tempo para serem julgadas em comparação com as municipais e estaduais. Em compensação, o pagamento dos precatórios federais expedidos é mais rápido do que os demais.

Precatório estadual

O precatório estadual tem a sua origem baseada em uma causa apresentada contra um dos 26 governos estaduais (ou Distrito Federal). Nestes casos, a ação é proveniente de um juizado localizado em uma comarca, que é presente em diversos municípios. Em seguida, a causa é encaminhada ao Tribunal de Justiça Estadual (TJ) daquele lugar.

Na grande maioria dos Estados o limite mínimo constitucional de precatórios é estipulado em 40 salários mínimos. 

Precatório municipal

O precatório municipal, por sua vez, é proveniente de alguma ação jurídica contra a administração de qualquer município brasileiro ou instituições diretamente relativas a eles.

Apesar do limite mínimo de pagamento previsto na Constituição para este tipo de precatório ser de 30 salários mínimos, na prática, diversos municípios diminuem este valor.  

Como é feito o pagamento de cada tipo de precatório

Os pagamentos dos três tipos de precatórios são feitos por entidades distintas. Confira as particularidades de cada um:

Precatório federal

O sistema de pagamentos do precatório federal é considerado como um dos poucos que estão em dia. Isso porque, de acordo com as regras que constam para este tipo de dívida, todos os recebimentos possuem uma data-limite para realização, que não deve ultrapassar dois anos e meio. 

Se um precatório é expedido até o dia 1º de julho de certo ano, por exemplo, este valor deverá ser quitado até o final do ano seguinte. Por outro lado, quando emitido após essa data, deve ser pago até o final dos próximos dois anos.

Isso quer dizer que um precatório expedido em setembro de 2017 precisa ser pago até dezembro de 2019. Por outro lado, se este mesmo precatório fosse emitido em março, deveria ser quitado até dezembro de 2018.

A responsabilidade de pagamento de todos os estes tipos de precatórios é exclusiva da União Federal. A  própria instituição faz a administração desses recursos e os envia diretamente para os Tribunais Federais, que fazem o pagamento dos créditos.

 

Precatório estadual

O precatório estadual é pago pelo Tribunal de Justiça Estadual com o recurso repassado pelo Estado. Ao contrário da fila de recebimento dos precatórios federais, o prazo para quitação das requisições estaduais não é tão bem definido, e pode levar muitos anos para ser finalizado.

Cada estado possui um prazo diferente para o pagamento de seus próprios precatórios, mas, no geral, é possível afirmar que todos eles não são bons pagadores. A maior parte de pagamentos atrasados são de responsabilidade das organizações estaduais. 

Para ilustrar, imaginemos que você tem um precatório do Estado de Minas Gerais com vencimento em 2004. Você deveria ter recebido o seu crédito ate o final de 2005, porém, o Estado de Minas Gerais ainda está pagando os de 2004 nos dias de hoje. 

Precatório municipal

A responsabilidade pelo pagamento do precatório municipal é de responsabilidade do Tribunal de Justiça que recebe o repasse do executivo municipal. Ainda que nem todas as cidades possuam dívidas, algumas delas foram premiadas com o selo de “Bom Pagador”, como Piauí, Roraima e Rio Grande do Norte.

Outros locais possuem problemas semelhantes aos Estados, já que o volume de precatórios é muito grande e, em ambos os casos, o pagamento é feito pelo secretário de finanças, que envia os créditos para o Tribunal de Justiça.

Os precatórios do município e Estado que tiverem em regime especial deverão ser pagos de acordo com a EC 94/2016. Está em aprovação final a nova PEC 212/2016 que estende para 2024 o pagamento de precatórios. Essas emendas determinam limites para o recebimento do dinheiro, mas, na prática, ainda não é possível dizer se a norma será cumprida.

Agora que você já sabe tudo sobre o precatório estadual, precatório municipal e, também, sobre o precatório federal, não deixe de assinar nossa newsletter para continuar por dentro de todas as novidades do blog!

About The Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos

  • Fique por dentro! precatorios prec precatorios
  • Antecipe seu precatrio e tire seus planos do papel! precatorio
  • Recentemente as regras sobre correo e juros dos precatrios foram
  • Hoje  dia de Arrai na PJUS! Olha a segundafeira!!!
  • queles que dedicaram tantos anos de suas vidas em no
  • httpblogpjuscombrentendaadiferencaentreoprecatoriofederalestadualemunicipal
  • Doar sangue  doar vida Transforme positivamente a vida de
  • Mais um credor e amigo satisfeita! A PJUS transformando positivamente
  • Mais um credor e amigo satisfeito! A PJUS transformando positivamente
Share This